Informe Ambiental 19  
15/09/10
01 a 15 de Setembro 2010.
Setor Agrícola
Usina Açucareira Furlan S/A.
Agro-Pecuária Furlan S/A.
 
Alunos do Colégio Pilares de Santa Bárbara d’Oeste visitam Usina Furlan.
No dia 01 de setembro de 2010  alunos do 5º ano (antiga 4ª série) do Colégio Pilares estiveram nas instalações da Usina Furlan para conhecerem um pouco mais sobre o
processo da fabricação do açúcar e etanol.
Na chegada à Usina os alunos foram recebidos pelo Sr. Ederval Furlan e Jerry Willians de Morais, onde receberam informações sobre o processo agrícola:  cana-de-açúcar, preparo do solo, plantio, cultivo (tratos culturais) e colheita. Foram demonstradas as ações tomadas em relação ao plantio e manutenção de mudas de árvores nativas nas áreas de preservação permanente, mata ciliar e nascentes. Na indústria Adriana de Brito passou informações sobre o processo de fabricação do açúcar e etanol : moagem, tratamento do caldo, cozimento, centrifugação , secagem e ensaque para o açúcar. Preparo do mosto (caldo, mel final e água), fermentação, centrifugação, destilação e armazenagem do etanol.
 No dia 25 de Setembro os alunos apresentarão o conhecimento adquirido na Feira Científica Cultural promovida pelo Colégio Pilares.
 
Etanol de cana leva São Paulo a posição de
liderança em políticas ambientais, diz estudo.
Um estudo divulgado na edição de setembro no The Journal of Environment atribui ao estado de São Paulo posição de liderança em termos de políticas de proteção ao meio-ambiente, devido a uma série de medidas ligadas à produção do etanol de cana-de-açúcar", o secretário do Meio Ambiente do estado, Oswaldo Lucon, e o professor da Universidade de São Paulo (USP) e ex-ministro
do Meio Ambiente, José Goldemberg, examinam duas bem-sucedidas políticas ligadas às energias renováveis:
 
o Protocolo Agroambiental e o Zoneamento Agroecológico da Cana-de-Açúcar.
 O Protocolo Agroambiental elenca uma série de objetivos ambientais ligados à produção
de etanol a partir da cana, que incluem, a proteção de matas e a antecipação do fim do uso do fogo para viabilizar a colheita manual da cana.
 Já o Zoneamento Agroecológico estabelece, entre outros aspectos, quais as áreas
do Estado que são adequadas para a futura expansão do cultivo da cana-de-açúcar.
Para José Goldemberg, os dois projetos têm importante papel para ajudar o Brasil a superar questões vitais relacionadas ao impacto social e ambiental .
“São Paulo adotou métodos que são imprescindíveis para a melhora efetiva da qualidade do ar e para a recuperação parcial da Mata Atlântica, ao mesmo tempo em que promove práticas sustentáveis para a produção de etanol de cana-de-açúcar,” afirma.
Na avaliação de Joel Velasco, representante-chefe da (UNICA) na América do Norte, o trabalho de Lucon e Goldemberg é importante porque reforça as formas como o etanol de cana tem “ajudado no avanço de São Paulo para a liderança em termos de políticas de proteção ao Meio Ambiente
 Fonte: UNICA
 
« Voltar